Oração do Credo

Oracao do Credo

Veja também:

Creio em Deus,
Pai todo-poderoso,
Criador do Céu e da Terra,
e em Jesus Cristo,
Seu único Filho, Nosso Senhor,
que foi concebido pelo poder do Espírito Santo;
nasceu da Virgem Maria;
padeceu sob Pôncio Pilatos,
foi crucificado, morto e sepultado;
desceu à mansão dos mortos;
ressuscitou ao terceiro dia;
subiu aos Céus;
está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso,
de onde há-de vir julgar os vivos e os mortos.

Creio no Espírito Santo;
na santa Igreja Católica;
na comunhão dos santos;
na remissão dos pecados;
na ressurreição da carne;
na vida eterna. Amem!

Pode rezar o Credo todos os dias?

Sim! Professar a oração do Credo todos os dias é importante para reafirmar a nossa profissão de fé e relembrar qual é a verdadeira crença dos fiéis católicos.

Por que se reza o credo?

A oração do credo é muito importante para a espiritualidade dos cristãos. Nesta oração está sintetizada de maneira orgânica e articulada o essencial da fé da Igreja Católica, nos aproximando de tudo aquilo que nós acreditamos da fé Católica.

De que forma se reza o Credo?

Existem duas formas de se rezar o Credo: o Credo Niceno-Constantinopolitano e o Credo que é chamado de “Símbolo dos Apóstolos“, que é um resumo do Credo Niceno-Constantinopolitano e é o que geralmente rezamos na Santa Missa no momento da Profissão de Fé.

O Credo conhecido por “Símbolo dos Apóstolos” é um resumo fiel da fé dos apóstolos, um símbolo que possibilita a confissão comum a todos os crentes, por isso a Igreja dá muito valor aos símbolos de fé, pois é através desses símbolos de fé que a mensagem de Cristo é protegida de equívocos e adulterações ao longo do tempo e também é protegida a medida que é traduzida a diferentes culturas, mantendo-se dessa forma na sua essência.

Qual a origem da oração do Credo?

O Credo foi definido nos Concílios de Nicéia (325 d.C.) e Constantinopla (381 d.C.).

Foi no Concílio de Nicéia que houve primeiro conselho geral da Igreja desde o Concílio Apostólico de Jerusalém, estabelecendo as condições para os gentios se unirem à Igreja. Cerca de 12 anos atrás havia acabado a perseguição aos cristãos pelos romanos, mas a Igreja estava dividida sobre as questões da divindade de Jesus.

Então o Imperador Constantino, a pedido de vários bispos, convocou uma reunião com todos os bispos da Igreja na cidade de Nicéia.

Estima-se que por volta de 318 bispos vieram dos mais diversos lugares. Entre eles estavam o Papa São Silvestre, São Nicolau de Mirra, Santo Eusébio de Cesaréia (primeiro historiador da Igreja), Santo Atanásio e Santo Alexandre de Alexandria.

O Concílio de Nicéia tinha como propósito anular a heresia ariana, na qual hereges liderados por um sacerdote chamado Ário, afirmavam que Jesus não era totalmente Deus, pois para Ele ser Deus ele deveria ter tido um início como todas as outras partes da criação de Deus. Anulando essa heresia o conselho visava estabelecer a doutrina da Trindade, na qual Deus, Jesus e o Espírito Santo eram três pessoas divinas em união completa.

Oração do Credo Niceno-Constantinopolitano

Creio em um só Deus,
Pai todo-poderoso,
Criador do Céu e da Terra,
de todas as coisas visíveis e invisíveis.

Creio em um só Senhor, Jesus Cristo,
Filho Unigênito de Deus,
nascido do Pai antes de todos os séculos:
Deus de Deus, Luz da Luz,
Deus verdadeiro de Deus verdadeiro;
gerado, não criado, consubstancial ao Pai.
Por Ele todas as coisas foram feitas.
E por nós, homens,
e para nossa salvação, desceu dos Céus.
E encarnou pelo Espírito Santo,
no seio da Virgem Maria,
e Se fez homem.
Também por nós foi crucificado
sob Pôncio Pilatos;
padeceu e foi sepultado.
Ressuscitou ao terceiro dia,
conforme as Escrituras;
e subiu aos céus, onde está sentado
à direita do Pai.
De novo há de vir em sua glória,
para julgar os vivos e os mortos;
e o Seu reino não terá fim.

Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida,
e procede do Pai e do Filho;
e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado:
Ele que falou pelos Profetas.

Creio na Igreja, una, santa, católica e apostólica.
Professo um só Batismo
para remissão dos pecados.
E espero a ressurreição dos mortos
e vida do mundo que há-de vir. Amem.